segunda-feira, outubro 08, 2007

Forças policiais em vigilância devido a ameaça de bomba em Faro

A ver se não começa a moda pelos meus lados...

Todas as forças de segurança do Algarve foram accionadas na sequência de um telefonema para um jornal da região a alertar para uma bomba da ETA em Faro, disse à Lusa a Governadora Civil.

Apesar do alerta, a Governadora Civil de Faro disse à Lusa que a população não deve ficar alarmada.

«Houve uma chamada anónima para a redacção de um jornal dando conhecimento de uma ameaça de bomba», disse a Governadora Civil de Faro, Isilda Gomes, referindo que por estarem em causa «razões de segurança» foi accionado de imediato o gabinete coordenador de segurança que é composto por todas as forças de segurança da região.

«As forças de segurança tomaram as medidas convenientes e adaptadas à situação eventual de uma bomba», explicou Isilda Gomes, especificando que desde o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, passando pela Polícia Judiciária, PSP, GNR, Autoridade Marítima, Aeroporto de Faro e mesmo o SIS estão a fazer prevenção.

A Lusa contactou a PSP de Faro que confirmou que está em curso um conjunto de diligências de prevenção, vigilância e unidades adequadas à situação na sequência de uma chamada telefónica anónima sobre uma alegada ameaça de bomba.

O sub-director Nacional da Directoria da Polícia Judiciária de Faro remeteu para mais tarde eventuais esclarecimentos sobre o caso.

A responsável pelo Governo Civil de Faro acredita que este telefonema anónimo não passa de mais um falso alarme, «daqueles que muitas vezes são feitos», mas que a situação não pode ser descurada.

A chamada anónima - na qual um indivíduo falava em espanhol e francês - foi feita para o Jornal do Algarve, publicação com um historial de 50 anos e sede em Vila Real de Santo António, a dezenas de metros da fronteira espanhola e do rio Guadiana.

Segundo uma funcionária do Jornal do Algarve, que pediu anonimato, o número do semanário recebeu o telefonema às 09:10 e percebeu-se «em basco que estavam a fazer uma ameaça de bomba em Faro», mas não se «percebeu o local».

O director do Jornal do Algarve, Fernando Reis, adiantou à Lusa que a funcionária que recebeu a chamada disse que a voz do outro lado da linha telefónica pertencia a um homem de meia idade que falou num «tom sereno» em três idiomas diferentes: francês, espanhol e basco.

A mesma funcionária também disso que apesar do «muito ruído na linha» conseguiu entender que era da ETA e que estava a informar de uma ameça bombista em faro.

«O homem [da chamada anónima] disse que ia explodir uma bomba em Faro, mas não falou em hora, nem em dia», explicou Fernando Reis.

O director do Jornal do Algarve adiantou ainda que foi contactada a Portugal Telecom (PT) para conhecer o registo da chamada, mas as chamadas recebidas só são identificadas quando se encontram sob escuta telefónica.

Em Junho, a polícia espanhola descobriu em Ayamonte, sul de Espanha, um veículo abandonado com matrícula portuguesa verdadeira, com cerca de 100 quilos de explosivos da ETA no interior e em marcha uma operação «stop» fiscalizando os automóveis que saem de Ayamonte, sul de Espanha, em direcção ao Algarve, Portugal.

No dia 30 de setembro, Portugal e Espanha assinaram um acordo para criar uma equipa com polícias e magistrados dos dois países que investigará a existência de uma eventual infra-estrutura da organização ETA em território português.

Diário Digital / Lusa

08-10-2007 17:09:00

2 comentários:

125_azul disse...

Óbalhamedeus, esta agora!!! Desculpa ainda não te ter enviado as fotos prometidas, sou uma desgraça! tinha-me esquecido completamente, com a gravidez, o internamento, o bebé prematuro, as complicações do pós-parto... seguem brevemente, prometo.
Beijinhos

Isabel-F. disse...

Ontem ouvi nas notícias ...


mas hoje não disseram mais nada ...

foi mesmo falso alarme não é???

beijokas